BRASÃO

Art. 19º - O Brasão de Armas de Cambira, de autoria do heraldista Prof. Arcinoé Antonio Peixoto de Farias, da Enciclopédia Heraldica Municipalista, é descrito em termos próprios de heráldica da seguinte forma:
       Escudo samnitico, encimado pela coroa mural de seis Torres de argente e iluminada de Góles. Em campo de argente, nasceste de um terrado de sinopla, a poda do Cipó “Cambira”.  Florido ao natural, com pétalas violáceas e corola amarela, como suportes, à dextra e sinistra

do Escudo, galhos de café frutificado e canas de milho, tudo ao natural, entrecruzadas em ponta, sobre as quais se sobrepõe um listel de góles, contendo em letras argentinas o topônimo “Cambira”,  ladeada pela data “22/10/1961”.       Parágrafo Único - O Brasão, descrito neste artigo em termos de heraldica, tem a seguinte interpretação simbólica:           a) O Escudo samnitico, usado para representar o Brasão de Armas de Cambira, foi o primeiro estilo de escudo introduzido em Portugal por influência francesa, heraldo pela heraldica brasileira como evocativo da raça colonizadora e principal formadora da nossa nacionalidade;           b) A coroa mural que sobrepõe é o símbolo universal dos brasões de domínio que, sendo de argente (prata), de seis torres das quais apenas quatro são visíveis em perspectiva no desenho, classifica a cidade representanda na Terceira Grandeza, ou seja a sede de Município;           c) O metal argente (prata) do campo do escudo é símbolo heráldico de paz, amizade, trabalho, prosperidade, pureza, religiosidade;           d) Nascente de um terrado de sinopla (verde), a poda do Cipó “Cambira”  florido ao natural, com pétalas violáceas e corola amarela, vem a se constituir na peça parlante do escudo, uma vez que a referida flor é conhecida popularmente por “Cambira” de onde se originou o topônimo da cidade;           e) A cor sínopla (verde) é símbolo de honra, civilidade, cortesia, abundância, alegria  - é a cor simbólica da esperança que, sendo verde, lembra os campos verdejantes na primavera fazendo “esperar”copiosa colheita;           f) Nos ornamentos exteriores, o milho e o café identificam os principais produtos oriundos da terra dadivosa e fértil, que se constituem na riqueza econômica municipal;           g) No listel de góles (vermelho), cor simbólica da dedicação amor-pátrio, audácia, intrepidez, coragem, valentia, inscreve-se, em letras argentinas (prateadas), o topônimo identificador “CAMBIRA” ladeado pela data de sua emancipação política “22/10/1961”.